Cesar Andrade



No artigo de hoje, não sou eu quem escreve, mas sim um verdadeiro artista e um amigo admirável. Além de captar a beleza da natureza como ninguém, é um ser humano que, com sua generosidade sabe cativar as pessoas. Não o conheço pessoalmente. Contudo posso, sem sombra de dúvida, dar meu depoimento afirmando que conheço sua generosidade e atenção, e além de tudo seu magnífico trabalho.

Essa frase fiz para você, meu amigo:

“A arte sem o sentimento de amor ao próximo é como um lindo frasco de perfume, mas cujo aroma mal percebemos.”

Obrigada por enviar-me esse artigo e por essa maravilhosa obra de arte que você me ofertou ao som da linda canção "Em Algum Lugar do Passado".

                  com toda minha admiração e gratidão,

                                                                            Karla


Clique na imagem acima e aumente o som

 

Nome: Antonio Cesar Ferreira de Andrade

Idade: 48 anos

Profissão: Engenheiro Civil trabalhando ha 24 anos na área de informática.

Hobbies: Fotografia digital de natureza, cozinha oriental, italiana e artesanal, jardinagem.

Casado, 3 filhos, residente em S.Paulo - SP

Considero que sou um "registrador de momentos" ou um "congelador de instantes" não ouso auto intitular-me de "fotógrafo", pois acredito que tal denominação deva ser usada para os reais profissionais desta área, o que se um dia resolver me tornar, o farei embasado em profundos estudos desta arte.

 

Na verdade, há 6 anos procuro registrar tudo o que me chama a atenção, eternizando meus olhares e perpetuando no meio digital, principalmente a natureza que em nossa época ainda podemos apreciar.

 

Infelizmente da forma como caminha a humanidade, nesta busca incessante pelo progresso, devido à ganância do homem certamente em algumas décadas pouco restará dessa natureza maravilhosa que ainda nos cerca e teremos pouco ou quase nada a observar.

 

Um dos motivos preferidos de meus registros são os "céus" e tudo que podemos nele visualizar, um belo alvorecer ou um pôr-do-sol daqueles de tirar o fôlego, a majestosa Lua em todas suas fases e formas, as nuvens com seus formatos mais inusitados contrastando com o profundo azul do céu, pássaros, enfim, isto tudo me fascina.

 

Fotografo também coisas simples, pequenos insetos, flores, brotos de plantas, campos floridos, árvores, raízes e sempre que posso, adquiro algum livro de fotos de alguns dos grandes mestres da fotografia mundial como Bresson, por exemplo, e apesar de não ter nenhuma pretensão de chegar aos pés deles, pois a genialidade que encontramos em alguns de seus trabalhos transcende em muito a simples fotografia, uso suas obras para inspiração e motivação em meus futuros “olhares”.

 

Tenho recebido ultimamente vários elogios em algumas de minhas fotos, inclusive alguns deles vindos de profissionais com larga experiência na área, o que me fazem crer que um dia ainda me dedicarei de corpo e alma à esta atividade deliciosa, por alguns chamada de "poesia da imobilidade".


                                                                  Cesar Andrade