CLARICE  LlSPECTOR

 

 

Lembro-me da primeira vez em que li um livro de Clarice Lispector. Era uma adolescente ainda e não conhecia a intensidade das emoções que ela tão divinamente transformava em palavras.

Hoje, adulta, identifico-me totalmente com sua perplexidade face à vida, suas indagações, e sobretudo com sua imensa capacidade de entender a individualidade de cada um.

"Eu te conheço até o osso por intermédio
 De uma encantação que vem de mim para it
 Só há uma coisa que me separa de você:
 o ar entre nós dois. Às vezes para ultrapassar
 Esse quase cruel afastamento, eu respiro
 Na tua boca que então me respira e
 Eu te respiro. Mas só por um único instante,
 Senão sufocaríamo-nos:seria o castigo
 Que se recebe quando um tenta ser o outro."

    

( Clarice Lispector )

Clique na imagem e leia mais sobre Clarice

 

Clarice acordava entre 3hs e 5hs da manhã. Levantava-se, punha uma “robe”de chambre “bem usada, ía à copa, tomava café com biscoitos e queijo,acendia um cigarro, passava para a sala e recostava-se  no sofá com Ulisses,seu cão de estimação a seus pés.

Era profundamente feminina. O branco,o preto e o vermelho eram uma constante em seu guarda-roupa. O batom,geralmente era vermelho forte. O rímel negro, fazia ressaltar o verde dos olhos.

Sentia-se brasileira sob todos OS aspectos "Penso e sinto em português, só esta língua penosa e terrível me satisfaria" e indignava-se com quem relativasse sua condição de brasileira: nascera na Rússia,  mas aqui chegara aos 2 meses de idade.Viveu no Recife " Eu tive um cotidiano mágico. "

Escreveu sob esse período em que lá viveu até os 12 anos.
Clarice Lispector foi sempre uma escritora que se voltava para dentro de si. " Tem gente que cose para fora, eu coso para dentro"

 

" A gente escreve como quem ama."

 

Para escrever, sentava-se no pequeno sofá de 2 lugares, próximo ao terraço, repleto de manuscritos, cadernos de telefone, correspondência, Bolsa, máquina de escrever. Ligava o rádio (MEC ou Rádio Federal). Atendia o telefone, às vezes ficava falando longamente.Voltava a olhar pela  janela.

De repente, transformava-se, colocava a máquina de escrever no colo e com extrema agilidade datilografava páginas e páginas a fio.
 

"Meu pensamento tem que ser um sentir". 
 

Colocava-se como um diletante da literatura: " Profissional escreve todos os dias porque precisa. Eu escrevo quando quero porque me dá prazer ".
 

Clique na imagem e leia mais sobre Clarice

 

 

"O Mistério do Perfume"

Não aplique perfume na roupa. Você estragará ambos.A roupa pode manchar. E o perfume termina por ficar muito cru e sem mistério. O mais recomendado é passar o perfume na pele. Esta absorve-o, e o resultado é mais pessoal. Você ganhará um perfume que ninguém tem totalmente igual, pois nem todos têm sua pele, com seu odor próprio e com seu grau de calor. Sua pele absorve o perfume e devolve-o com acréscimo de você mesma. Daí em diante, o perfume não se chamará mais, digamos, " Me adorem, por favor", mas passará a se chamar "O me adorem, por favor, da Maria"- isto na suposição de que uma de vocês se chame Maria.

Entre passar perfume na roupa e na pele, há uma diferença mais ou menos comparável àquela que existe entre um vestido pendurado no cabide e usado no corpo.
(Clarice Lispector)

 

Clarice já nasceu sábia e ela tece sua poesia do mesmo modo com que nos conduz pelos caminhos de sua essência íntima.

"Mas eu não sabia que se pode tudo, meu Deus!"
(Clarice Lispector)

 

OBRAS DE CLARICE LISPECTOR

"Perto do Coração selvagem",(romance)
"O lustre",(romance)
"A cidade sitiada",(romance)
"A maçã no escuro", (romance)
"A paixão segundo G.H.",(romance)
"Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres",(romance)
"Água Viva", (romance)
"A hora da estrela",(novela)
"A Bela e a Fera", (contos)
"Laços de Família",(contos)
"A legião estrangeira",(contos)
"Felicidade clandestina"(contos)
"Onde estivestes de noite",(contos)
"A via crucis do corpo",(contos)
"De corpo inteiro",(entrevistas)
"para não esquecer",(crõnicas)
"A descoberta do mundo",(crônicas)
"Aprendendo a viver", (crõnicas)
"Correspondências",(cartas)
"Aprendendo a viver - imagens",(citações)
"Outros escritos",(coletâneas)
"O mistério do coelho pensante"(infantil)
"A mulher que matou os peixes",(infantil)
"A vida íntima de Laura"(infantil0
"Quase de verdade",(infantil)
"Como nasceram as estrelas",(infantil)

by Karla