MEU CASO PORTEÑO

Podem me chamar de vira-casaca, Judas, vendida, a primeira que correu, seja o que for.
Pero lo que siento quando cá estoy es más fuerte do que
sinto quando ouço a bateria da minha Escola de Samba preferida passar.
É mais intenso do que sinto quando mergulho sete vezes no mar para
presentear YemanjÁ.
Quando o avião desde nesse chão, que para mim é solo sagrado, e onde finalmente achei meu re-canto,
Deixo a Cidade Maravilhosa de lado e só tenho ojos para aquela que me toca o coração como o som de um bandoneón.
E meu estrogêneo eleva-se 50 níveis acima do mar.
Minha feminilidade fica dez vezes mais intensa quando ouço Cortázar.
Compro um batom rojo, pongo un vestigo negro, perlas y salgo para una noche de musica, amor y lunas.
Nessa hora. 50 estrelas cadentes cortam o céu de Buenos Aires.
Sinto uma brisa caliente que me traz do passado a voz de meu pai, me dizendo para não me esquecer de comer las papas fritas.
Juntos, caminhamos de mãos dadas até a Corrientes 348 onde ele me abraça e me promete que sempre estará comigo.
Eu o abraço e nessa cidade dos Bons Ares, a voz do meu pai ecoa até hoje.

Karla Julia
Buenos Aires, janeiro 2012.

" las calles de Buenos Aires ", foto by Karla Julia

 

Canção: "Last Tango in Paris", Gotan Project