Arthur Rimbaud

 

Poeta desde pequeno
Exagerado, revoltado e contra as convenções.
Cazuza da poesia
Jonny Depp das ideologias.
Ou quem sabe apenas mais um amante da arte que,
como todos acima,
Desejou vencer o mundo das aparências, pela força de sua
Poesia e de sua natureza selvagem.

 

A todos vocês, artistas “malditos” dedico esse artigo.

 

Vocês fazem parte de um grupo cuja originalidade é incontestável, e onde todas as formas de amor e sofrimento, que “queimam” suas almas , se transformam em versos, canções e atuações transbordantes em emoção.

Karla


Clique na imagem acima e leia um ótimo site sobre Rimbaud em francês

Sensation
Arthur Rimbaud

Par les soirs bleus d´été,j´irais dans les sentiers,
Picoté par les blés ,fouler l´herbe menue:
Rêveur, j´en sentirai la fraîcheur à mes pieds.
Je laisserai Le vent baigner ma tête nue.
Je NE parlerai pas, je NE penserai rien:
Mais l´amour infini me montera dans l ´âme,
Et j´irais loin, comme un bohémien,
Par la Nature,- heureux comme avec une femme.
Mars  1870

Tradução: Karla

Nas noites azuis de verão, irei pelas veredas,
Arranhando-me nos trigos, ao pisar a relva miúda;
Sonhador,sentirei seu frescor sob meus pés.
Deixarei o vento banhar minha cabeça descoberta.
Não falarei, não pensarei em nada:
Mas o amor infinito invadirá minha alma,
E irei longe, como um boêmio,
Pela Natureza -feliz como com uma mulher.
Março 1870 

 


Clique na imagem acima e leia outro site sobre Rimbaud

 

Poésies
Arthur Rimbaud
Capítulo
Lettres dites du Voyant (Cartas ditas do Vidente)
Pág.202, 3° parágrafo.
Tradução: Karla

“Digo que é preciso ser vidente por um longa, imensa e razoável desregulagem de todos OS sentidos .Todas as formas de amor , de sofrimento, de loucura: ele mesmo procura, ele esgota em is mesmo todos OS venenos para não guardar dele senão as quintessências. Inefável tortura, onde ele precisa de toda fé, de  toda for a sobre-humana, onde ele se torna entre todos o Grande doente, o Grande criminoso o Grande maldito, - e o supremo Sábio!

Pois ele chega ao desconhecido! Já que ele cultivou sua alma, já Rica, mais do que ninguém! Ele chega ao desconhecido, e mesmo que aflito, ele acabasse perdendo a inteligência de suas visões, ele a teria visto! Ele morre na sua ânsia de coisas inauditas e incontáveis: virão outros horríveis trabalhadores; else começarão pelos horizontes onde o outro já desapareceu .”

by Karla