CANTO DE YEMANJÁ



Que cantos são esses que tão longe ecoam?
Serão de minh’alma os seus ecos perdidos?
Promessas não cumpridas que se foram,
Ou os lamentos do meu peito compungido?

Eu atendi a esse chamado inconformado,
- Era um lamento de amor a Yemanjá -
Alguém clamava de um jeito apaixonado,
E eu cedi, por também querer me apaixonar.

Netuno não perdoa essas transgressões...
- Não veja além das ondas, quem pertence ao mar.
Que seus sonhos e todas as suas emoções,
Sejam segredos pra ninguém jamais contar.

Que sentimento é esse que agora vive em mim?
- Tão fascinante é esse homem que me quer...-
As ondas me levam ao seu encontro... assim...
Para que eu prove e saiba como é ser mulher...

Mas o mar é minha casa e me sinto desolada,
Longe dos seus mistérios, lendas e encantos...
Venha... te levarei amado, pra minha morada,
Deixarei aqui a tristeza dos meus prantos.

Habitaremos meu mundo de tal beleza e cor,
Sublimados pelos contos de além mar...
Serás eterno e entenderás como é o amor,
Quando Yemanjá em teus braços se entregar...

©Mírian Warttusch. Todos os direitos reservados

Canção:"É Doce Morrer no Mar" de Dorival Caymmi