PORTUGUÊS SUAVE

Mais um livro dessa escritora portuguesa de que sou fã: Margarida rebelo Pinto. Dessa vez, ela conta a história de três gerações de mulheres, e de um segredo, guardado, durante muito muito tempo. "Português Suave " é o tipo de livro que reafirma minha condição de litora compulsiva, pois aquando começo a lê-lo não consigo parar. Cada capítulo reproduz o pensamento de uma das protagonistas, e desse jeito continua, até o último capítulo. Histórias densas, vidas diferentes, algumas com muitos acontecimentos e amores, outras com muita dedicação e poucas paixões. Mas isso tudo contado de um jeito muito especial, muito feminino, que só Margarida, no seu estilo super atual sabe contar.
Deve-se levar em consideração tambpe que Português Suave é uma marca de cigarros, e só o título do livro, porque à medida que vamos nos aprofundando nas histórias veremos que ele não é tão suave assim...

Alguns trechos do livro:

" No entanto, pouco depois do casamento, confesso que cheguei a invejar-lhes a vida organizada e ordeira, os filhos sossegados e disciplinados, aquele modelo muito burguês, muito português suave, a que Alexandre O`Neill chamava a alegria sonâmbula, a vírgula maníaca do modo funcionário de viver, tão morno, tão branco, tão baseado nas aparências e em tudo como deve ser, porque o parecer está ainda e sempre acima do ser, e o dever, acima do prazer, do sentir, de tudo." .

"A minha paixão por ele era uma doença crônica que só o tempo conseguiu aplacar. Ou talvez nem sequer tenha sido o tempo, mas a vida em si mesma, o silêncio, a solidão, as saudades de tempos passados, e sobretudo a certeza, mais firme e evidente a cada ano que passa de que há um tempo para tudo na vida e que o tempo em que eu vivia tudo até ao limite, amor, sexo, drogas e álcool também acabou por passar, por se desvanecer, por deixar de fazer sentido em minha existência."

'"... a figura do Andrès na soleira da porta de casa da minha irmã, o seu sorriso de garo sempre a aparecer e a desaparecer da minha vida, as noites em branco em incontáveis cama de hotel espalhadas por toda a Europa, o inconfundível cheiro a Eau Sauvage misturado com suor e prazer, os seus cabelos compridos sempre despenteados, o olhar de predador, de revolucionário, de eterno aventureiro, memórias cristalizadas como fotografias com cheiro e temperatura."

Karla Julia