TONHO FRANÇA

Mãos que nos levam


Junto as últimas réstias da tarde,
De pequenas flores lívidas nuances
Esvaiam-se aromas indecifráveis
Como se emanadas de paraísos
E nuas, floresceram entre o silêncio, remidas
Bordando seus olores no lençol branco-eterno
Com que se veste a morte nas noites entristecidas
Em que passeia colhendo-nos enquanto sonhamos
Nos campos vastos da vida

©Tonho França. Todos os direitos reservados

Canção: "Vambora", Adriana Calcanhoto