TONHO FRANÇA

Separação... ( aos amores perdidos...)

Que a distância e a frieza do tempo
Não apague em mim o som do seu riso
Pois seriamos amor se as circunstâncias
não fossem íntimas do equivoco.

Que a poesia possa me perdoar,
Pelo silêncio em todos os meus sentidos.
Que os mais reticentes possam entender
Que eu não justifique minhas lágrimas
E tão pouco o silêncio do meu lamento...

Que a solidão em alguns momentos, não seja maior
Que as lembranças tantas das quais me alimento
E se em noites mais longas de inverno, a palidez da lua
A alma de poeta, o vinho, a dúvida de humana natureza me aflija
que eu mesmo entenda e me volte a certeza
há momentos em que o próprio amor fraqueja...

©Tonho França. Todos os direitos reservados


Canção: “Solitudine”, Laura Pausini