COMO SE DESEJASSE ...

Como se desejasse

Da vida, o verdadeiro amor encontrar,

Vou  pairando sobre os sonhos,

Buscando nos recantos – encantos do amar.

Como se desejasse

Obter a certeza – fim de toda a  agonia,

Salpico todo o meu ser,

Com o gotejar dos raios de um novo dia.

Como se desejasse

Marcar minha passagem – mistérios insinuar,

Cubro-me de mantos – escondo-me,

Deixo sua libido me pressentir – intimamente procurar.

Como se desejasse

Aplacar as chamas do desejo – saciar-me no leito,

Sopro suave brisa – indelével e fresca,

Espalhando o meu doce perfume ao vento.

Como se desejasse

O vazio que assola a alma preencher – ínfimo instante,

Sorrio para o tempo – aliado e companheiro,

Que transforma em presente – o que ontem era tão distante.

Como se desejasse

Usando um ufano toque,

Transformar o proibido em permitido,

Colorir, a aquarela da existência,em pinceladas – um retoque.

Como se desejasse

Ressoar como o embate de ondas agitadas – ecos de tempestade,

Compassando as batidas de um coração,

Ser a beleza do pertencer – a entrega sem vaidade.

Como se desejasse

Despertar nos braços do dourado alvorecer,

Entre abraços – apertados laços,

Submeto-me a ti paixão – sonhos do anoitecer!

©Maria Lucilia Cardoso. Todos os direitos reservados