ROMA -II-


Agora vem e faz correr meu sangue novamente em minhas veias
Ele se encontra parado, petrificado, estagnado
Esse sangue em estado bruto, encontra-se em estado de LUTO.

Vem, anda, nada mais te falta, me trucidaste e ainda estou aqui

Além do mais, revelei-te os segredos dos dias enluarados e dos mantras divinos
Já te contei que a bruxa malvada na realidade era a fada encantada?

Ou era a fada que era a bruxa? Ah, como me deixas confusa....

Mas, peço-te , devolve- me a vida e não estranhes essa poesia
Nos separamos tantas vezes... para depois, sempre prosseguirmos
Contudo meu sangue dessa vez precisa jorrar ..

Deixa que tua poesia derrame seus versos afiados sobre mim
Qual navalhas lapidando minhas veias feito pedras preciosas
e me resgata , inundando-me de vida

para que, novamente fluida e renovada
.possa suportar (Ka)lada, a enormidade desse amor
...

...quietinho dentro de mim.


Karla Julia

Canção: "Over and Over", Nelly

 
 

Jenario de Fátima

Tonho França

Valter Montani

Oswaldo Antonio Begiato

Míriam Warttusch

Armando Licurgo

Maria Lucilia Cardoso

Diógenes Pereira de Araújo

Helena Jorge

Fátima Queiroz e sua Arte Digital

Meus Artesanatos, by Karla Julia

 



 
   
 

Campo de Orquideas by Karla
Valter Poeta
Liberdade perfeita
Oswaldo Begiato
Varal da Artes
Mírian Warttusch
Clara Luz do Meu Pensar
Eternal - Fractals
Universo na Poesia
Nivaldo Tavares
Mesa de Cantos
Mil Almas Inquietas
Poeta Cards
Retalhos de Poesia
Luz de Aldebarã
Filha do Sol
Cesar Andrade
Poética Digital