Mensagem

 

Às vezes, a saudade é tanta que desço aos infernos
Lá chegando, perco cores e aromas há muito guardados comigo
E faço pedidos a Perséfone, que também espera, como eu

Náufraga em terra firme,
As chamas que outrora ardiam agora me frequentam
Queimo minhas mãos em labaredas frias

Perséfone não me ouve
Subo aos céus desesperada por ajuda
Meus olhos se elevam até o mais alto dos Montes

E imploro a Zeus que te traga de volta pra mim
pelos anos que juntos passamos
e por esse eclipse que lhes deu fim.

Náufraga nesse céu sem estrelas
Exilada nesse Olimpo de deuses que não me escutam
Minha alma é perfurada por buracos negros de saudades

Quisera falar sem segundas, só primeiras intenções
Quisera falar do poema que te dediquei nessas noites desestreladas
Quisera falar do nosso amor, que um dia começou...
...mas nunca terminou.....

Karla Julia

Canção:"I`ll always love you"Whitney Houston

 


 
 

Jenario de Fátima

Tonho França

Valter Montani

Oswaldo Antonio Begiato

Míriam Warttusch

Armando Licurgo

Maria Lucilia Cardoso

Diógenes Pereira de Araújo

Helena Jorge

Fátima Queiroz e sua Arte Digital

Meus Artesanatos, by Karla Julia

 



 
   
 

Campo de Orquideas by Karla
Valter Poeta
Liberdade perfeita
Oswaldo Begiato
Varal da Artes
Mírian Warttusch
Clara Luz do Meu Pensar
Eternal - Fractals
Universo na Poesia
Nivaldo Tavares
Mesa de Cantos
Mil Almas Inquietas
Poeta Cards
Retalhos de Poesia
Luz de Aldebarã
Filha do Sol
Cesar Andrade
Poética Digital